quarta-feira, 1 de abril de 2009

The way I are

Parabéns! Você merece o prêmio de pessoa mais falsinha do mundo.
Depois de iludir a menininha, dar seu showzinho, vem culpar os outros e fazê-los sentir culpados. Assumo minha parcela de culpa enorme nessa história e com a conciência pesando e o coração apertado, reconheço a da minha amiga, mas eu queria que você parasse um pouquinho e se colocasse no lugar dos outros. No meu, no dela, e no dele. Eu sei que você nunca vai ler isso na vida, mas eu preciso escrever o quanto você me decepcionou, e nem culpo por ter falado de mim (ou não), mas por ir falar com pessoas, que eu gosto e quero muito mais bem. Será que cabe a VOCÊ julgar alguma coisa aqui? Logo você que me julgou da forma mais infantil possível, e se não julgou, ouviu calado. Se eu pudesse voltar, eu nunca repararia em você naquele show, com a menina se jogando em você. Nunca. E quando eu resolvo te perdoar, achar que você não fez nada por mal, e "isso acontece, Fernanda, agora se afasta e fica na sua, e ESQUECE", quando eu me conformo, você vem falar bosta. Mais bosta, aliás... E me deixa louca, meus amigos loucos. Minha consciência pesada. Quando na verdade, você que foi ridículo, foi você que começou isso tudo.
Você tinha tudo pra voltar atrás, você podia pedir desculpas, logo quando soube que eu já sabia... mas não, você resolve culpar outras pessoas que não tem nada a ver com nada. Você tinha tudo pra ser o de agora, mas não sabe como me magoou, como destruiu minha ilusão mais bonita... "eu te recriei só pro meu prazer", sabia? E agora, é assim que eu quero você na minha cabeça. Como uma coisa boa, que passou... e pronto!

Moral da história: Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo!

3 comentários:

  1. quando eu li o parabéns, pensei que era dedicado a mim o post! husaisa.
    Mas o que aconteceu ?? mande-me por dep. quero nomes :)
    te amo.

    ResponderExcluir
  2. Renato Russo está sempre certo :)

    ResponderExcluir

Deixe seu recado após o sinal: bep.